Museu Fotográfico Mauro Palombo

Museu Fotografico de Niteroi, Fotografias, Maquinas Fotograficas, Processos de Captura, Revelacao das Imagens e os dois aniversarios de Niteroi
Apoio Cultural
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

Acervo do Museu Fotográfico Mauro Palombo. História da Imperial Cidade de Niterói e arredores, contada por imagens e equipamentos fotográficos, usando como base e marcadores as peças da coleção do Fotógrafo Mauro Palombo.

Niterói - Sobre

fonte tamanho:     

Gentílico: niteroiense. "Niterói" (anteriormente escrito "Nictheroy" ou quando errado "Nitheroy") era o nome indígena do porto da cidade do Rio de Janeiro por volta de 1554. Em 1834, o antigo topônimo indígena "Nictheroy", foi adotado como novo nome da até então "Vila Real da Praia Grande", quando esta se tornou a capital da Província do Rio de Janeiro. Existem várias explicações sobre o significado do termo na língua tupi:  "baía ou porto sinuoso"; "rio verdadeiro frio"; "água que se esconde";  e "água escondida". Levando-se em conta que "Guanabara" (gua-nã-bará) significa "colo semelhante a mar" no sentido de grande estuário, e, sendo este o nome que os tamoios davam à entrada da baía, parece certo considerar a tradução de "água escondida" a mais correta, já que era a utilizada para designar a parte mais ao fundo da baía. Vem da maneira antiga de escrever o nome da cidade o apelido dela. Que por desconhecer a origem a maioria das pessoas escreve errado. Nicthy (e não Nikiti ou outras) é a forma reduzida de escrever Nictheroy.

Freguesia criada com a denominação de vila Real da Praia Grande, por Alvará de 18-01-1696, por deliberação estadual de 15-08-1891 e Por deliberação estadual de 15-08-1891 e decreto estadual nº 1, de 08-05-1892 e 1-A, de 03-06-1892.

Pelo decreto estadual nº 1, de 08-05-1892, são criados os distrito de Barretos, Icaraí, São Domingos, São Lourenço e Jurujuba anexado ao município de Niterói.

Elevado a categoria de vila com a denominação de vila Real da Praia Grande, por Alvará de 10-05-1819, desmembrado da Cidade do Rio de janeiro. Sede na Povoação de São Domingos da Praia Grande. Constituído do distrito Sede. Instalado em 11-08-1819.

Elevado a categoria de Capital do Estado, Pela lei provincial nº 2, de 26-03-1835.

Recebeu foros de Cidade com a denominação de Nictheroy, pela lei provincial nº 6, de 28-03-1835.

Em 1844 o imperador Dom Pedro II concedeu à cidade o título de Imperial Cidade. A nomeação era dada às cidades mais importantes, conferindo-lhes certa autonomia e poder regional.

Pelo decreto estadual nº 124, de 22-09-1890, desmembra do município de Niterói as freguesias de São Gonçalo, Nossa Senhora da Conceição de Cordeiros e São Sebastião de Itaipu, para constituírem o novo município de São Gonçalo.

Deixou provisoriamente de ser Capital do Estado em decorrência das leis estaduais nºs 50, 30-01-1894 e 89, de 01-10-1894, Voltando a ser Capital do Estado, pela lei estadual nº. 542, de 04-08-1902, e reinstalada em 20-06-1895.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município de Niterói é constituído de 6 distritos: Niterói, São Domingos, Icaraí, São Lourenço, Barreto e Jurujuba.

Na divisão administrativa de 1933, apareceu constituído de 6 distritos: os 5 primeiros denominados Niterói, identificados apenas numericamente (1.°, 2.°, 3.°, 4.°, 5.°) e Jurujuba.

Aqueles distritos voltaram a receber os topônimos anteriores

Em divisões territoriais datadas de 1936 e 1937, bem como no quadro anexado ao decreto-lei estadual nº 392-A, de 31-03-1938, o município de Niterói permanece como único termo judiciário da comarca de Niterói e se compõem do distrito Sede, sub-dividido em 2 zonas: 1º zona 1º, 4º e 5º antigos distritos. ( 2º zona 3º, e 6º antigos distritos).

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, Niterói é constituído do distrito Sede, sub-dividido, em 4 zonas denominadas 1º,2º,3º e 4º e é único termo judiciário da comarca de Niterói.

Pelo decreto-lei estadual nº 1056, de 31-12-1943, a área municipal ficou acrescida em virtude da anexação do distrito de Itaipu, desmembrado do município de São Gonçalo. Dessa data em diante, Niterói passou a ter dois distritos: Niterói com 2 zonas e seus bairros e o Itaipu. Niterói é constituído de 2 distritos. Niterói e Itaipu.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município de Niterói é constituído de 2 distritos: Niterói e Itaipu.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 31-XII-1968.

Por força do disposto da lei complementar nº 20, de 01-06-1974, o município de Niterói deixou de ser capital do estado.

Em "Síntese" de 31-Xll-1994, o município é constituído de 2 distritos: Niterói e Itaipu.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Niterói é um município do estado do Rio de Janeiro, na Região Sudeste do Brasil. Com população estimada em 497.893 habitantes segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2016, e uma área de 129,3 km². Geograficamente, a cidade é dividida em cinqüenta e dois bairros. Para efeito de planejamento político-administrativo, a cidade foi organizada em cinco regiões administrativas subdividas em secretarias regionais. Integra a Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ) e ostenta o mais elevado Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do Estado do Rio de Janeiro e o sétimo maior entre os municípios do Brasil em 2010. Individualmente, é o segundo município com maior média de renda domiciliar per capita mensal do Brasil e aparece na 13ª posição entre os municípios do país segundo os indicadores sociais referentes à educação. Os niteroienses pertencem linguística e culturalmente à família dos cariocas, grupo ao qual pertence mais de 70% da população do moderno Estado do Rio de Janeiro.

Foi capital estadual fluminense até a fusão entre os estados do Rio de Janeiro e da Guanabara em 1975. Dista 10,9 km da cidade do Rio de Janeiro e possui como acessos a Ponte Rio-Niterói e Avenida do Contorno, ambas trechos da BR-101, a Alameda São Boaventura, trecho urbano da RJ-104, a Avenida Everton Xavier, trecho urbano da RJ-108. Também se pode chegar à cidade por meio das linhas de ferry conhecidas como barcas. A Imperial Cidade de Niterói é um dos principais centros financeiros, comerciais e industriais do estado do Rio de Janeiro, sendo a 12ª entre as 100 melhores cidades brasileiras para se fazer negócios. Niterói vem registrando um alto índice de investimentos na cidade, principalmente imobiliários e comerciários, advindos tanto da herança de ter sido a capital estadual, como por sua proximidade geográfica com a cidade do Rio de Janeiro. Absorve um intenso desenvolvimento das atividades de exploração de petróleo offshore na Bacia de Santos e da Bacia de Campos. Escritórios de serviços especializados, hospitais, universidades, museus e shopping-centers proporcionam opções de entretenimento às famílias e pessoas. Ao mesmo tempo, o município está absorvendo uma série de investimentos industriais importantes nos setores ligados à cadeia produtiva de petróleo e gás. Destaca-se a reinauguração de estaleiros, com a reforma e a manutenção de plataformas e estruturas offshore, além da construção de embarcações para o transporte de passageiros.

Niterói é o terceiro destino turístico do Estado do Rio de Janeiro, ficando atrás somente da capital e de Búzios.  Segundo dados do IBGE de 2010, o produto interno bruto nominal de Niterói foi de 11,2 bilhões de reais, figurando como o quinto município com maior produto interno bruto do estado, depois da capital (a cidade do Rio de Janeiro), de Duque de Caxias, Campos dos Goytacazes e Macaé, além de ser o 45º município mais rico do Brasil. Somente no setor de petróleo, a região responde por 70 por cento do parque instalado estadual do setor, concentrando desde empresas de offshore a estaleiros. A cidade é o segundo maior empregador formal do Estado do Rio de Janeiro, embora ocupe o 5º lugar quanto ao número de habitantes, que correspondem a 4,11 por cento do total da população da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

A Imperial Cidade de Niterói possui o melhor índice de desenvolvimento humano do Estado e o terceiro do país de acordo com estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas em junho de 2011, que também classificou Niterói como "a cidade com população mais rica do Brasil", por possuir 30,7 por cento dela inserida na classe A. Considerando as classes A e B, Niterói também aparece em primeiro lugar, com 42,9% de sua população inserida nessas classes. Está entre as cidades mais alfabetizadas do Brasil, além de apresentar a menor incidência de pobreza, a população com maior renda mensal per capita e o maior índice de longevidade municipal do Estado do Rio de Janeiro. Segundo levantamento do Instituto Trata Brasil, com base no ano de 2014, a cidade encontra-se na 12ª posição nacional apresentando 100% do abastecimento de água tratada. Em relação ao tratamento de esgoto o município aparece na 9º colocação e está entre as 10 cidades que tratam mais de 80% do seu esgoto.

publicidade